Serviço social está mais valorizado

Categorias: MERCADO DE TRABALHO, PLANEJAMENTO DE CARREIRA, ÚLTIMAS NOTÍCIAS
(Foto: andyreis / Stock.xchng)

(Foto: andyreis / Stock.xchng)

O mercado de trabalho para assistentes sociais vem sendo gradativamente ampliado nos últimos cinco anos no Brasil. “É um reflexo direto da evolução das políticas públicas”, diz a assessora especial do Conselho Federal do Serviço Social (CFESS), Ana Cristina Abreu. É resultado do que Cristina chama de “evolução” das políticas públicas com, por exemplo, a instalação, a partir de 2005, do Sistema Único de Assistência Social (Suas), que, a exemplo do SUS, municipaliza as ações na área.

O impacto do Suas no mercado de trabalho ocorre com a criação de postos de atendimento municipais. Desde 2005, segundo o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que coordena os trabalhos, foram criados 5.142 centros de referência de assistência social (Cras) e outros 1.434 centros de referência especializados. Cada um deles emprega ao menos dois assistentes sociais.

Há ainda a ampliação da demanda nos Núcleos de Atendimento à Família (Naf) e nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), na Saúde. O Caps substitui as internações em sanatórios de doentes mentais e é reflexo da evolução na política de atendimento dessa população.

Como o Suas e o SUS municipalizaram as ações, as vagas estão concentradas nas prefeituras, mas há movimentação grande também em autarquias e nos poderes públicos federais. “Um relatório feito por um grupo de trabalho interministerial em 2007 apontava para a necessidade de contratação de 1,6 mil assistentes sociais pelo Instituto de Previdência Social, apenas para garantir acesso da população à reabilitação profissional”, conta a presidente do Conselho Regional de Serviço Social de São Paulo (Cress-SP), Áurea Fuziwara. A Previdência realizou concurso no ano passado, depois de uma lacuna de 30 anos, mas chamou apenas 886, dos 1,6 mil necessários.

Situação semelhante é encontrada no Poder Judiciário - um dos maiores empregadores do setor e o que oferece os melhores salários, segundo Ademir Silva, professor de Política Social da PUC-SP -, obrigado a ampliar as vagas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“O estatuto determina a criação de um grupo interdisciplinar, com profissionais como psicólogos e assistentes sociais, que devem subsidiar o trabalho do juiz”, explica Áurea.

Com a publicação no ano passado de uma resolução do Conselho Nacional de Justiça determinando a contratação desses profissionais, foi realizado um concurso público. “O Judiciário, no entanto, ainda não convocou os profissionais alegando falta de recursos”, conta Áurea.

EMPREGO PÚBLICO - Pesquisa realizada em 2005 pelo CFESS mostra que mais de 80% dos então 74 mil assistentes sociais com registro no conselho estavam empregados em postos do poder público; de 6% a 7% nas Organizações Não-Governamentais (ONGs) - um campo de trabalho crescente -; e outros 10% nas empresas privadas, que também estão ampliando as vagas no setor em função da adoção de políticas de sustentabilidade, que envolvem ações de responsabilidade social. O assistente social é, portanto, basicamente um “funcionário público”, e Cristina diz que é assim que deve ser. “Nossa missão é garantir o cumprimento dos direitos do cidadão, conscientizá-lo desses direitos e ajudá-los a se organizar coletivamente. Portanto, o campo de trabalho sempre estará centrado no poder público”, explica.

O conselho deve iniciar uma nova pesquisa nesse sentido, para atualizar os dados, mas Cristina não acredita que essa proporção tenha mudado significativamente, mesmo com a ampliação das atividades de ONGs e das empresas na área. “Teremos, sim, aumento considerável no número de profissionais registrados”, diz.

Até setembro de 2008, o CFESS tinha 84 mil assistentes sociais registrados, sendo 22 mil deles apenas no Estado de São Paulo. “Hoje, esse número deve ter aumentado em pelo menos 3 mil novos profissionais ou mais”, diz.

O número de registros é usado pelo conselho como um termômetro do mercado, já que, para trabalhar, o assistente social precisa dele, por determinação legal. “Em geral os profissionais buscam o registro quando encontram um trabalho”, explica Áurea. Em São Paulo, foram feitos 985 registros em 2004. Em 2008 esse número subiu para 1.445, um aumento de 18%.

O conselho registra também um aumento na oferta de cursos de Serviço Social, especialmente pelas universidades privadas, o que é considerado outro indício de aumento do mercado de trabalho. Na Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), por exemplo, as matrículas no curso Serviço Social cresceram 122% este ano, em relação a 2008.

PERFIL DO ASSISTENTE SOCIAL - Segundo o manual “A profissão de Assistente Social”, de Ademir Silva, editado pela PUC-SP, este é o perfil do assistente social:

Campo de atuação - É um profissional do setor de serviços, a maioria no poder público. Trabalha no meio urbano, como assalariado. Os autônomos são apenas 1,2% do total. A jornada de trabalho é de 30 horas a 40 horas semanais

Vínculos Empregatícios - 11,07% têm mais de um emprego. A maioria trabalha em instituições públicas: 40,97% municipais, 24% estaduais e 13,19% federais. Nas instituições privadas são 13,19%, e no terceiro setor, 6,81%

Gênero e idade - Cerca de 3% dos profissionais são do sexo masculino, 5% têm entre 20 anos e 24 anos; 25% de 45 a 49 anos; 30% de 25 a 34 anos e 38% de 35 a 44 anos

Religião - 67,65% são católicos; 12,69% protestantes; 9,83% espíritas kardecistas, seguidos pelos demais, dentre os quais 7,92% se declaram agnósticos

Renda familiar - Mais de nove salários mínimos para 37,12%; de quatro a seis salários para 30,53%; de sete a nove salários para 21,95% e até três para 10,4%S

26 comentários sobre “Serviço social está mais valorizado”
  • Kátia Oliveira disse:    ( 05.11.2009 às 0:41 )

    Oi a todos!
    Sou estudante do curso de Serviço Social e estou cursando o 4º período; gosto muito da área social, principalmente porque sou uma pessoa solidária e espero me tornar uma excelente profissional. É muito bom saber que a profissão têm tido o seu espaço garantido, sinal de que num futuro breve, poderemos estar numa belíssima instituição fazendo o nosso trabalho da melhor maneira possível.
    Abraços a todos. Divinópolis - MG.


  • Juliana disse:    ( 04.11.2009 às 23:00 )

    Conquistas são sempre importantes mas temos um longo caminho pela frente, não nos contentemos com pouco, queremos ser reconhecidas sim mas que o Estado faça o que lhe é de dever, o atendimento as necessidades da população tratando - a com dignidade e respeito.

    Abraços colegas !


  • odete monteiro aranha disse:    ( 31.10.2009 às 0:38 )

    Eu me chamo odete monteiro aranha,moro em Imperatriz-ma.Tenho 47 anos ,estou cursando o curso de serviço social.termino em 2010,estudo na escola unitns,pólo presencial coelho neto. É com satisfação que escrevo sobre o meu curso que amo de verdade,pois trouxe esperança. O mercado de trabalho é amplo, cresce a cada ano.No campo profissional há bastante vagas em todo território nacional.Esperando pelo Edital que irár sair pelo senador federal,assistentes em escolas,postos de saùde em breve.De grande valor para a sociedade .


  • Francisco Mororó disse:    ( 14.10.2009 às 20:39 )

    Me alegro com as vitórias dos proficionais de serviço Social pela oferta de tralho.


  • Fabiana disse:    ( 05.10.2009 às 17:37 )

    Boa Tarde Colegas,
    Realmente, só de saber que o nome do Serviço Social apareceu aí para lembrar a todos que nós existimos, faz nos sentir um pouco melhor!
    Porém, não podemos falar ainda em valorização. Não só por parte dos nossos empregadores, mas dos próprios profissionais. Ainda há muito a ser feito. Ainda há muitos profissionais que precisam buscar aprimorar conhecimento (e me sinto nessa necessidade), para que o atendimento ao nosso usuario seja cada vez mais qualificado. Como Assistente Social, buscando a cada dia a defesa intransigente dos direitos humanos, não consigo aceitar profissionais que tratam o usuário com grosserias e indiferença, como se fosse o dono do saber e o usuário um mero mortal.
    CAROS COLEGAS, LUTEMOS POR MELHORIAS NAS CONDIÇÕES DE TRABALHO, MAS NAO ESQUEÇAMOS DE ESTAR NAS RUAS, COM O POVO, DE OCUPAR E FAZER OCUPAR AS PRAÇAS! Assim, a sociedade que queremos no futuro chegará, sem sermos conhecidos popularmente como as mocinhas boazinhas que o governo paga para ter pena dos pobres (Leiam o que é Serviço Social da Editora Brasiliense).


  • Aline disse:    ( 01.10.2009 às 12:08 )

    Olá!
    Meu nome é Aline tenho 18 anos, desde os 16 anos decidi fazer o curso de serviço social. Estou cada dia mais apaixonada por essa área e ano que vem se Deus quiser inicio o curso. Ainda estou com dúvidas pra decidir qual faculdade é melhor pra essa área.
    Mas enfim parabéns a todos que escolheram essa área!!!
    Beijus Aline


  • Fabio Cristiano de Miranda disse:    ( 07.09.2009 às 3:24 )

    Meu nome é Fabio,tenho 24 anos e estou cursando Serviço Social,sou um apaixonado pela profissão,apesar de saber que ainda tenho muito a aprender e a conquistar,fico feliz por esta materia,já que eu não sei bem o porque,mas os meios de comunicação na divulgam muito do nosso trabalho,o que é uma pena,pois com isso a nossa profissão poderia ter uma valor ainda maior.

    Enfim parabenizo todos(as) que escolheram trilhar por este caminho,e que nãi deixamos de lutar jamais por um mundo mais justo e digno.


  • carla c. miranda sampaio disse:    ( 26.08.2009 às 16:27 )

    Fico feliz em saber que esta profissão está sendo reconhecida,e que apesar das lutas escolhi a profissão certa,estou no 4ºperíodo já caminhando para o estágio e estou amando tudo que estou vivendo.Temos que nos unir para fazer valer os nossos direitos. Abraços a todos!


  • CAROL disse:    ( 17.08.2009 às 16:07 )

    Já percebi que a maioria estão felizes pela escolha de curso
    … PARABÉNS QUE DEUS ABENÇOE CADA UMA DE VOCêS …


  • simone santos nunes disse:    ( 22.07.2009 às 12:18 )

    Estou no meu primeiro ano de serviço social, estou muito feliz com a minha escolha e pretendo entrar para o serviço público através desse curso. BJS A TODOD


  • maria catarina do carmo disse:    ( 17.07.2009 às 18:34 )

    legal


  • Fátima Begosso disse:    ( 16.07.2009 às 21:45 )

    Legal saber que as lutas por está categoria está sendo reconhecida, como uma profissão que luta pelos direitos e fazer valer as políticas, parabéns a todas nós que soubemos escolher a profissão correta.
    Abraços…


  • sabrina disse:    ( 16.07.2009 às 16:17 )

    Oi!sou a Sabrina e tenho 18 anos.eu começo o curso de serviço Social em 08/2009 na intituição isabela Hendrix.estou muito empolgada para começar a fazer o curso axo linda essa profissão de ser solidario ao proximo.Escolhi esta profissão por que eu sempre quiz uma profissão que me tornasse útil à humanidade.Pretendo exercer esta profissão criando projetos de melhorias sociais,de envolver os jovem em projetos culturais tornando os mais interagidos com os problemas de uma sociedade e lhes auxiliando como seguir o caminho certo,mostrando a sociedade que ninguém eh melhor q ninguém,que somos todos iguai e que se não pensarmos no proxímo plantando sementes boas colheremos frutos sem qualidade.Ajudar a quem prescisa é uma forma de estarmos bem com nosso espirito de sermos pessoas melhores.Com certeza o bem q fazemos a alguém sendo ele de coração temos um retorno maravilhoso q Deus nos prepara.buxx..com Deus…


  • sabrina disse:    ( 16.07.2009 às 16:03 )

    Oi meu nome eh Sabrina tenho 18 anos e começo o curso de serviço social 03/09/2009 na instituição isabela hendrix em BH-MG.Estou super empolgada por ter escolhido esta profissão,por que me sinto melhor ao ajudar quem nescessita de ajuda.Meu maior desejo era encontrar uma profissão que faria minha vida útil para a humanidade,pretendo dar o melhor de mim para ajudar ao proximo.Sem duvidas pode ser considerada uma bela profissão por ser de assistencia a quem precisa,levar solução para um problema social.pretendo elaborar projetos para melhorar a convivência ensinando,passando a mensagem de quem ninguém eh melhor q ninguém,


  • Maria Aparecida Nogueira disse:    ( 14.07.2009 às 15:35 )

    Fiquei feliz pela matéria publicada ,mas por ser uma profissão cuja missão é a efetivação dos direitos dos cidadãos,acho que devemos lutar mais pelos nossos direitos ,conformme ja citado “30 horas semanais, contratação de 1,6 na Previdência Social e só contratou a metade,visto que existe a necessidade,no Poder Judiciário, não chamou os candidatos que foram classificados conforme o edital do concurso,nos Caps,também tem muitos que ainda não tem assistemte social,nas prefeituras as assistentes sociais estão sobrecarregada por falta de contratação das profissionais”,acho que esta na hora de lutarmos pela efetivação de nossos direitos também ,em outras categorias profissionais,tais com: medicos ,enfermeiros professores etc,ja conseguiram muitas coisas que nós ainda não,espero que consegamos amadurecermos profissionalmente não se
    acomodando com a situação.
    Abraços.


  • Roberta da Silva Santos disse:    ( 13.07.2009 às 18:49 )

    Interessante visualizar a profissão sendo destacada em grandes meios de comunicação escrita e falada, pois desta forma conquistamos espaços necessários para debatermos sobre os limites, possibilidades e desafios de concretização dos princípios do Código de Ética e a efetivação do nosso Projeto Ético-político profissional em suas bases teóricas e organizativas.


  • Thayse Amaral. disse:    ( 06.07.2009 às 16:14 )

    Apesar dos avanços temos muitas lutas e obstáculos para vencer e mostrar que o Serviço Social é uma profissão e não caridade, como alguns pensam.
    SUCESSO E DETERMINAÇÃO para todos que lutam e lutarão pelo reconhecimento da profissão.
    “Lutaremos pelos bons,lutaremos pelos justos lutaremos pelo melhor do mundo”

    Thayse Amaral.Varre-Sai/RJ


  • Dirce Fonseca disse:    ( 05.07.2009 às 8:39 )

    Estamos caminhando no reconhecimento da profissão de assistente social, é verdade, mas acredito que todo cuidado é pouco uma vez que as funções obrigatórias do ESTADO, quanto às questões sociais, estão cada vez mais escassas. É nesse ponto que devemos lutar, pois toda questão social tem origem na falta de estrutura política do ESTADO.


  • ELZA disse:    ( 04.07.2009 às 13:04 )

    Finalmente o devido reconhecimento. Isso é o reflexo de muita luta e compromisso. Somo sprofissionais que lutamos pelas garantias de direitos conquistados com muitas batalhas, pois muitas ouitras inda virão e cá estamos nós.
    AMO SER ASSSITENTE SOCIAL, NASCI PARA ESSA PROFISSÃO.
    Abraços para toda a categoria que verdadeiramente luta por dias melhores para todos.


  • Priscila disse:    ( 02.07.2009 às 10:50 )

    Olá meu nome é Priscila estou cursando 5ª semestre de Serviço Social na região de Guarulhos, acredito que a profissão vem ganhando destaque ultimamente, mas os profissionais tem que se destacar estudando e se reciclando sempre pois o mercado exige profissionais cada mais preparados.
    Abraços!!


  • maria luzia s.oliveira disse:    ( 01.07.2009 às 20:49 )

    Tudo isso que esta acontecendo neste momento nao e por acaso, e um trabalho de luta de anos, parabens.eu como assistente social so tenho que parabenizar por tudo isso.

    Boa Sorte,que deus abencoe a todos.
    Maria Luzia de Ribeirao pretoSP.


  • Thais Batista disse:    ( 30.06.2009 às 21:01 )

    Também me sinto feliz por fazer parte de uma profissão que tem por premissa básica a defesa intransigente dos direitos humanos. Percebemos no dia-a-dia o aumento nos quadros de profissionais de SSO, mas há que se destacar que esta inserção tem sido extremamente precarizada, com condições de trabalho muito aquém das necessárias para o bom desempenho e atendimento às demandas dos usuários. Não consigo ver ainda toda essa valorização, até porque a carga horária da maioria dos trabalhadores é de 40h semanais, a baixa remuneração é o retrato do “reconhecimento” do poder público pelo trabalho deste profissional, dependendo do município tem a audácia de publicar nos editais de processos seletivos um salário de R$ 400,00. Não! Eu não errei nas cifras. É isso mesmo R$ 400,00. Então não consigo ver essa tal valorização. Consigo sim, perceber claramente que somos um categoria que em sua maioria “não foge da raia a troco de nada…”

    Abraços a t@d@s.


  • Valdineri Nunes Ferreira disse:    ( 30.06.2009 às 10:53 )

    Que bom que essa profissão está, enfim, recebendo o seu espaço na mídia e na sociedade! Estou me formando em agosto de 2009 em Serviço Social, na UFPB em João Pessoa, e não me vejo fazendo outra coisa senão a promoção e a defesa dos direitos humanos. Sou mais um homem que acredita num Brasil e num mundo melhor, mas com os pés bem firmes no chão… Vamos à luta, há muito para fazer! Um abraço a todas(os)!


  • ana maria reis nascimento disse:    ( 30.06.2009 às 2:19 )

    Como estudante de Serviço Social e contrária a esta desiguldade que cada vez mais insiste em enraizar-se no nosso País, eu os parabenizo, e principalmente aos que lutam pela defesa intransigente dos direitos humanos e lutam principalmente para socalizá-os como prevê o nosso código de Ética e lutam por um novo Projeto Societário.
    Estudante da UCSAL Salvador/Bahia


  • Ivete Angela Lemes disse:    ( 29.06.2009 às 20:51 )

    Isto é muito bom ,bom, bom, demais;porque que está acontecendo, é óbvio ,a categoria está sempre participando e batalhando junto ao público o reconhecimento do trabalho desta categoria , que é um trabalho que requer muita atenção ,compreenção, sabedoria , vivacidade , criatividade , paciência , muita pesquisaaaaaaa.
    Boa Sorteeeeee a todos (a).
    Ivete / 21ª Região / MS Campo Grande.


  • Ana Paula Fernandes disse:    ( 29.06.2009 às 10:18 )

    Fico feliz por saber que a profissão do assistente social está sendo cada vez mais valorizada. A redução da jornada de trabalho para 30 horas é uma das preocupações da categoria, que deve ser conquistada por todos (as) nós.

    Abraços!


Deixe um comentário